Pesquisar este blog

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Faz pouco tempo que me dei conta da maravilha dos sentidos com aquele espirito de evoe. Estando eu sempre no presente posso aproveita o que meus olhos não veem. Taí um sentido enganador, talvez seria melhor falar despersador. Quem não fecha os olhos por alguns segundos e sente , sente aquele cheiro de cidade grande e ouve aquele ruido das maquinas velozes que conforme os olhos se situa em um corredor preto. Sempre olho mais , olho demais, pelo menos é que meu olho me diz.
Descobrindo os gozos dos sentidos.

Primeiro sentido : olfato
O olfato geralmente existe em duas situações.
Dntro de um elevador um casal se pega loucamente. Homem, esperto, desce para o pescoço da formosa dama.
-Amor, que cheiro gostoso.
- Sex 212

Pelada da sexta-feira.

Porém não é o olfato que me guia no dia a dia. Caro, prazer. Antonimo de barato. Vou dizer o cheiro que me levou nas nuvens.Nas nuvens a gente é coisa fofa, pisa em algodão. O cheiro de uma cozinha viva. Alho fritando ao azeite. Inalo aquele cheiro de cebola rocha, choro.Abobrinha picadinha. Macarrão em água fervente. E ainda tem os figurantes, a cenoura, o quadrados de tofu, a alcelga. AH, o shoyo, a comida com sal.O cheiro me guiou. Aquela cozinha me deu um verdadeiro concerto cheiros, aonde eu poderia interferir como maestra. Foi cheiroso. Prazeroso, e como!
Na parte do plano, vendar alguém que antes de tudo visse o cheiro do que come.
Considero isso, também, como a descrição do preparo do último prato do meu desafio.
E assim posso terminar aquela história gastronomica e começar outra com algum sentido

beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário